Bruno L.

Sobre algumas coisas que, de certa forma, imagino que eu esteja contido um pouco...
Recent Tweets @brunolazz
Posts I Like
Who I Follow

Gindra Joseph 

Pansies

(via opintassilgo)

a criatura amada desaparece, o difícil é penetrar na ausência que se forma, essa ausência que se faz, às vezes, na própria presença da pessoa amada e qu envolve tudo numa atmosfera nublada de melancolia e sofrimento. Atmosfera nublada que vai aos poucos se apoderando dessas horas que dias antes tinham palpitado de uma vida tão intensa - hoje, poesia, sonho, tristeza, minutos espessos que se arrastam no vazio, sem que possamos jamais encontrar de novo a mesma vitalidade onde descansávamos os nossos lábios doentes de uma sede insaciável… Horas sem luz, onde as nossas mãos tateiam na penumbra, no pobre esforço de deter ainda um pouco de calor e da alegria desaparecida - ah! como sabem crescer e se tornar pesados esses momentos, cheios de lembrança desses laços que se atam e se desatam no silêncio, como se confundissem, na memória atribulada, o gosto do passado com a sombra sem perfume do presente”…

[ Lúcio Cardoso em “A luz no subsolo, pág. 66 ]

Little opossum buddy that was gifted to me

(via cavalcade-of-perversion)

ela sentia pesar sobre a sua vida o tormento dessas criaturas que se sentem perdidas no abandono de si mesmas. Quantas vezes, indagando o que lhe faltava, qual o meio de preencher aquela lacuna que sentia dia a dia se alargar pela sua vida, chegara à conclusão de que não poderia viver só, entregue apenas ao seu desencanto: com um coação real, que ela sentia pulsar sob o peito, compreendia de que grande capacidade de se dar, de que a natureza feita para o abandono e o encontro da vitalidade na ventura alheia era feita a sua alma”.

[ Lúcio Cardoso em “A luz no subsolo”, p. 44-45 ]

Bom dia para quem acordou sensualizando!!! Hahahahah

Évariste Vital Luminais - Les Enervés de Jumièges - 1880s

(via c3h5n3o9)